Greenpeace realiza pesquisa sobre agrotóxicos nos alimentos

Infelizmente o Brasil está no topo do ranking dos países que mais consomem agrotóxicos no mundo. A pesquisa encomendada pela ONG Greenpeace colocou esse assunto em discussão novamente e reacendeu a preocupação dos brasileiros sobre o consumo de alimentos “envenenados”.

A pesquisa nos fez lembrar também, o fato de tramitar na Câmara um projeto de lei (PL 6299/2002) que deixa ainda mais frouxas as regras para fiscalização dos agrotóxicos.

E para amenizar essa situação, que parece nada menos do que injusta para os cidadãos que pouco prestam atenção no que tramita ou não na Câmara, também aguarda aprovação, o projeto de lei que institui a Política Nacional de Redução de Agrotóxicos (Pnara) que propõe, reduzir gradualmente o uso de agrotóxicos na agricultura entre outras propostas.

A pesquisa solicitada pelo Greenpeace foi feita entre os dias 11 e 13 de setembro, com amostras de São Paulo e Brasília, e o resultado é preocupante.  O levantamento mostra que das 50 amostras testadas, 30 continham resíduos tóxicos e 13 apresentavam agrotóxicos não permitidos no Brasil. O efeito coquetel (mistura de vários agrotóxicos no mesmo alimento) foi detectado em 15 amostras. Muitos alimentos tinham substâncias não permitidas para eles.

Segundo a pesquisa, mais da metade do que comemos tem agrotóxicos, e não se sabe qual o efeito deles a longo prazo em nossa saúde, principalmente quando falamos do efeito coquetel.

Alimentos comuns nas casas dos brasileiros como mamão, laranja e banana, têm problemas sérios que chamam atenção. Por exemplo o mamão:

  • 3 das quatro amostras pesquisadas apresentaram o efeito coquetel;
  • Em uma das amostras havia um pesticida que não é permitido para o uso neste tipo de fruta;
  • Em outra, foi encontrado uma substância com valores nove vezes a mais do que o permitido;
  • Duas amostras continham um pesticida que é proibido no Brasil.

Foram analisados 113 quilos de alimentos adquiridos em diferentes estabelecimentos comerciais de São Paulo e Brasília. Os alimentos analisados na pesquisa foram: arroz branco e integral, feijão preto e carioca, mamão formosa, tomate, couve, pimentão verde, laranja, banana nanica e prata e café.

O único alimento que não apresentou nenhum tipo de resíduo foi o café. Todos os outros alimentos, tiveram ao menos um tipo de agrotóxico em pelo menos uma das duas cidades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *