Bebês na primeira infância já pedem produtos no supermercado, diz pesquisa

Estudo da Multifocus mostra que mães brasileiras que param de amamentar após licença-maternidade passam a dar alimentos industrializados para seus bebês na primeira infância

Os brasileiros estão buscando alternativas mais saudáveis na hora de se alimentar. E esses novos hábitos de consumo estão ficando cada vez mais comuns no dia a dia das pessoas, de acordo com o estudo feito pelo Pesquisas.com.br com 1.962 pessoas com idade a partir dos 25 anos em todo o Brasil.

Mas, se compararmos com a alimentação das crianças, os números mudam bastante. A maioria dos brasileiros que têm entre 0 e 3 anos de idade já está manifestando desejo em alguns produtos que estão nas prateleiras dos supermercados.

De acordo com o estudo sobre hábitos alimentares na primeira infância feito pela Multifocus Inteligência de Mercado a cada 2 anos, desde 2012, 61% dos bebês demonstram interesse em algum produto que está na gôndola do supermercado.

Entre os preferidos dos pequenos, destaque para o biscoito doce, que chega a 30% de aceitação. Seguido por iogurtes, salgadinhos, chocolate e, por último, brinquedos, com 29%, 16%, 14% e 10%, respectivamente.

O estudo PapagaioPipa mostra um aumento na amamentação dos bebês na primeira infância desde 2012 no Brasil, porém para a maioria das mamães que trabalham, o aleitamento normalmente acontece regularmente até terminar o período de licença-maternidade.

De acordo com os dados obtidos pela Multifocus entre 2012 e 2017, quando as mães voltam à rotina de trabalho e o bebê já pode ingerir outros alimentos, a amamentação dá lugar aos produtos industrializados na hora da alimentação.

Por outro lado, as marcas que têm apelo entre esse público e que são líderes em seus segmentos alimentícios que elas podem contribuir diretamente com uma geração de brasileiros mais saudáveis. Quando o bebê deixa de ser amamentado pela mãe e passa a consumir alimentos industrializados ele passa a comer tudo o que a sua família ingere.

De acordo com as entrevistas da pesquisa, além da praticidade a aceitação por parte dos pequenos é maior por itens com açúcar, gorduras e também pela embalagem e aparência. Confira esses e outros dados sobre o estudo Hábitos Alimentares na Primeira Infância.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *